Reposição hormonal feminina

Dicas Cura | domingo, dezembro 23, 2012 | 0 comentários





Reposição hormonal feminina

Uma das maneiras de diminuir os incômodos causados pela menopausa é através da terapia de reposição hormonal.

A terapia de reposição hormonal feminina consiste na toma de hormônios (sintéticos ou naturais) para substituir o estrogênio e a progesterona que os ovários deixam de produzir na menopausa.

O tempo de tratamento vai depender do organismo de cada mulher, mas há uma média de 2 anos ininterruptos de reposição para aquelas que desejam combater os sintomas da menopausa, e um período de aproximadamente 5 anos para aquelas que desejam também diminuir o risco de osteoporose e de doenças cardiovasculares.

Reposição hormonal natural

Optar por uma alimentação rica em grãos é uma ótima forma de fazer uma reposição hormonal de forma natural. Para tal efeito deve-se consumir principalmente alimentos como a soja, sementes de linhaça e o inhame.

A soja é especialmente indicada para as mulheres, por conseguir diminuir o risco de osteoporose e diminuir as chances de desenvolver um câncer de mama. Já o inhame é ótimo para combater o inchaço e a retenção de líquidos, situações comuns nesta fase da vida.

As pessoas que optam por fazer uma reposição hormonal ganham em qualidade de vida ao diminuir os sintomas causados pela menopausa.

Estes são ingredientes fáceis de serem encontrados nos supermercados e além de tudo, são saborosos.

Contra-indicações da reposição hormonal

As contra-indicações da reposição hormonal são para mulheres com insuficiência hepática ou câncer de mama.  Embora a terapia de reposição hormonal sirva para reduzir o desconforto sentido pela mulher na menopausa, ela  não é essencial, e muitas mulheres preferem sentir as alterações naturais da idade sem interferência de medicamentos.

Existem alternativas naturais para a reposição hormonal mas em qualquer situação a mulher deve sempre estar sendo aconselhada por um médico.

Especialistas do California Teachers Study, entidade voltada para o pesquisa sobre o câncer de mama nos Estados Unidos, divulgaram estudo nesta terça-feira (10) que evidencia a relação entre terapia de hormônios como os progestágenos e a indicência de câncer de mama em mulheres.

A pesquisa reuniu dados de 56.867 pessoas do sexo feminino com câncer, acompanhadas durante quase 10 anos. Segundo os dados, mulheres que utilizaram a terapia de estrogênio por mais de 15 anos apresentam risco 19% maior de contraírem tumores malignos nos seios na comparação com aquelas que nunca usaram o regime de administração da substância.

"Os benefícios de terapia de reposição hormonal para alívio de sintomas pós-menopausa são claros, mas os riscos também são maiores do que imaginávamos", afirma Tanmai Saxena, da Escola de Medicina Kech da Universidade do Sul da Califórnia.

O trabalho foi publicado na revista Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention, publicação da associação norte-americana para pesquisas sobre o câncer.

Quando combinado com progestágenos, a terapia com estrogênio, feita durante 15 ou mais anos, aumenta em até 83% as chances de câncer de mama.

Segundo os especialistas, o risco está associado também ao índice de massa corporal (IMC). Entre mulheres com índices menores que 30, as chances aumentam.

Category:

0 comentários